quinta-feira, junho 18, 2009

Dor

O mar, as flores o vergel, o prado,
Tudo que vejo, como a vida, odeio;
Da dor o manto o coração me enluta,
Nem a beleza faz pulsar meu seio;
E dos teus olhos mesmos a luz fulgente
Não faz minh'alma palpitar de enleio!
(Lordy Byron)
.
Desfaleça coração errante,
Traficante de almas.
Sangre todas veias.
.
Extirpe esta dor que esperneia,
dançante ao luar de meus olhos.
Caia ao chão,nesse oceano em chamas!
(sel)

2 comentários:

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Selma, obrigado pelos parabéns. E dá vontade sim, dá tesão sim.

O sofrimento gritante de Byron e a urgência implorada de Sel.

Gostei!

Até mais.

Jota Cê

Porcelain Doll disse...

Se a alma é exigente... então mergulhe no ódio, na dor, no luto... o coração desfalece de tanto pesar...